Quando Devo Usar Os Florais

Quando Vale A Pena Fazer Uma Primeira Tentativa Com A Terapia Floral?

(segundo Mechthild Scheffer)
Quando os problemas do paciente estão claramente relacionados com uma mudança decisiva em sua situação de vida.

Exemplo: A demissão do emprego, uma crise conjugal, a reprovação de ano na escola, a morte do companheiro, o cuidado com um parente gravemente enfermo, etc.

Quando os sintomas psíquicos estão em primeiro plano, mas o paciente e não precisa de tratamento psicoterapêutico ou psiquiátrico.

Exemplo: As perturbações emocionais ligadas à submissão em jovens; a crise da meia-idade com uma necessidade excessiva de alcançar resultados; os sintomas de solidão em pessoas idosas; os medos e fobias alimentados pela mídia ( como o medo do câncer ou da AIDS).

Quando há problemas provocados por múltiplos fatores, como distúrbios do sono e perturbações dos batimentos cardíacos; se necessário, o tratamento deverá ser acompanhado pela terapia medicamentosa apropriada.
Quando o curador lamenta não poder fazer ainda mais pelo paciente.

Exemplo: Proporcionar-lhe mais bem-estar emocional.

Quando restam resultados insatisfatórios depois de esgotadas todas as possibilidades terapêuticas convencionais.

Exemplo: A síndrome de pós-colecistectomia ou problemas no baixo-ventre depois de uma histerectomia, distúrbios estomacais resistentes à terapia, ou quando pequenos sintomas, incômodos persistentes (como o resfriado crônico) continuam resistindo ao tratamento.

Quando o curador tem a impressão de que precisa receitar ao paciente uma “artilharia pesada”.

Exemplo: Beta-bloqueadores (aos quais o paciente não responde) ou psicofármacos (que ele não quer tomar).

Quando uma terapia leva sempre a repetidos retrocessos.

Exemplo: Estados de esgotamento, infecções ou deslocamento de sintomas.

Quando o paciente se recusa a tomar medicamentos químicos e quer ser tratado por métodos alternativos.
Quando o paciente, por si mesmo, quer fazer mais pela sua própria saúde.

Exemplo: Ele faz perguntas sobre fortificantes e pede informações sobre saúde. Esse tipo de paciente em geral se mostra agradecido pelas sugestões sobre os cuidados com a saúde emocional.

Quando o próprio curador estiver passando por uma crise psíquica ou física.

Exemplo: A síndrome de sobrecarga, problemas de estresse ou conflitos humanos na equipe de trabalho, etc.

QUEM PODE TOMAR AS ESSÊNCIAS FLORAIS

Crianças (bebês inclusive), adolescentes, adultos, idosos, animais e plantas.